Retinopatia Diabética

 

Saiba o que é e Previna-se

O QUE É A RETINOPATIA DIABÉTICA? 

A retina é uma fina camada de células nervosas que reveste a parte interna do olho. É responsável pela formação da imagem, funcionando como o filme de uma câmera fotográfica. A mácula é a parte central e mais sensível da retina, a qual proporciona uma visão nítida, detalhada e em cores. A doença é uma complicação do diabetes decorrente da deterioração dos vasos sanguíneos que alimentam a retina, podendo comprometer a visão.

RISCOS

As pessoas que têm diabetes apresentam risco vinte e cinco vezes maior de ficarem cegas do que as não portadoras da doença. Mesmo com os avanços da medicina, a retinopatia continua sendo a principal causa de cegueira irreversível entre adultos.
A retinopatia diabética atinge mais de 75% das pessoas que têm diabetes há mais de 20 anos e o risco aumenta com a idade.

COMO É DIAGNOSTICADA A RETINOPATIA DIABÉTICA?
Uma vez que na fase inicial da doença não há sintomas como dor, olhos avermelhados ou secreção, a moléstia pode passar desapercebida a não ser que seja detectada em uma consulta. Assim, para proteger-se da retinopatia diabética, todo diabético deve realizar uma consulta oftalmológica completa pelo menos uma vez por ano, de preferência com um oftalmologista especializado em problemas de retina.

QUAIS SÃO AS OPCÕES DE TRATAMENTO?

Geralmente, na fase inicial da doença hà apenas necessidade de consultas oftalmológicas regulares e, também, de controlar o açúcar no sangue, o colesterol e a pressão arterial. Mas, se houver risco de redução ou perda da visão, o oftalmologista iniciará o tratamento para evitar danos adicionais, e se possível, melhorar a visão. Se, por exemplo, o vazamento de soro e sangue afetar a mácula, será realizado um tratamento com laser argônio para selar e fortalecer os vasos que se romperam. Esse tratamento não interrompe a fase inicial da retinopatia, mas reduz a perda adicional da visão e evita novos vazamentos de soro e/ou sangue. Em alguns casos, podemos realizar injeções intravítreas de alguns medicamentos para controle da doença.
O laser é também usado no tratamento da retinopatia diabética avançada para reduzir o crescimento de vasos sanguíneos anormais. Entretanto, se nessa fase da doença ocorrer uma hemorragia significativa e/ou descolamento de retina, o oftalmologista poderá recomendar a realização de uma cirurgia denominada vitrectomia. Em alguns casos pode haver, ainda, necessidade de uma cirurgia de descolamento de retina, em conjunto com a vitrectomia. 

Dr. JEFFERSON BATISTA.
MÉDICO OFTALMOLOGISTA.CRM-PR 23258

Presbiopia ou Vista Cansada

SAIBA O QUE É, E CONHECA AS OPÇÕES DE TRATAMENTO 

Também conhecida como vista cansada, a presbiopia é a diminuição da capacidade do olho de focalizar de perto.É uma mudança fisiológica da qual não se pode escapar porque, com o avançar da idade, o cristalino, lente natural do olho, perde a elasticidade e a transparência.Os sintomas iniciais são cansaço visual, cefaléia e uma necessidade de afastar os objetos para ver melhor.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

Os sintomas da presbiopia começam a ser percebidos, na maioria das pessoas, a partir dos 40 anos.Ela ocorre, gradualmente, ao longo dos anos.Mas, o seu aparecimento também depende de diversos fatores como, por exemplo, outros defeitos de refração e eventualmente associados como a miopia e hipermetropia.Tudo começa com uma pequena dificuldade para focar objetos de perto.Naturalmente solucionamos afastando um pouco os objetos dos olhos.Essa dificuldade aumenta progressivamente, e nossos braços não conseguem mais ajudar a distanciar os textos ou objeto o suficiente para possibilitar uma boa leitura ou conseguir um foco melhor.

QUAIS SÃO AS OPÇÕES DE TRATAMENTO?

A correção pode ser feita através do uso de óculos (para leitura, bifocais ou multifocais); lentes de contato; cirurgia refrativa a laser e ceratoplastia condutiva.Graças à evolução da ciência, hoje existem lentes intra-oculares bifocais e multifocais capazes de solucionar problemas como a presbiopia e catarata de uma só vez, podendo eliminar a necessidade de óculos ou lentes.Para saber, qual é a melhor opção de tratamento para o seu caso procure seu oftalmologista. 

Dr. Jefferson Batista.CRM-23258
Médico Oftalmologista.
Fone.:(44)36227600

Olho Seco

SAIBA O QUE É E CONHEÇA AS OPÇÕES DE TRATAMENTO

O QUE É?

Olho seco é uma condição extremamente comum, que acomete aproximadamente de 20 a 30% da população acima dos 50 anos. É um termo usado para descrever uma deficiência na qualidade ou quantidade de lágrima produzida pelo organismo, provocando uma lubrificação inadequada do olho.Uma pequena porcentagem consiste de quadros graves, que podem acometer a acuidade visual.Apesar de milhões de pessoas sofrerem de olho seco, normalmente é difícil ser diagnosticado.Pode ser facilmente confundido com outras condições, tais como infecções ou alergias oculares.Além disso, o excesso de lacrimejamento também pode ser um sintoma de olho seco.

QUAIS SÃO OS SINAIS E SINTOMAS DO OLHO SECO? 

Sensação de queimação ou de corpo estranho; pode ter excesso de lágrimas, freqüentemente exacerbada por fumaça, vento, calor, baixa umidade, ou uso prolongado da visão.Após uso prolongado do computador, a visão começa a ficar embaçada, e os olhos, vermelhos.A sensação de ardor e areia nos olhos incomoda tanto que você não vê saída a não ser fecha-los por alguns minutos.Se esse quadro descreve o que você sente com uma certa freqüência, é grande a possibilidade de você ter olho seco.Sintomas como ardor, ressecamento, fotofobia, corpo estranho e até lacrimejamento apontam para a condição multifatorial que tem se tornado cada vez mais comum nos consultórios de oftalmologia.

O QUE PODE CAUSAR O OLHO SECO? 

Há várias anormalidades diferentes que podem causar o olho seco, tais como diminuição da produção de lágrimas, evaporação excessiva, problemas com o piscar, etc.
IDAE:Como regra geral, com a idade, a produção de lágrimas diminui.Aos 65 anos, por exemplo, se produz 60 % menos lágrimas que aos 18 anos.
DOENÇAS SISTÊMICAS:O olho seco freqüentemente é associado com outras doenças como artrite, alergia, lúpus, Síndrome de Sjögren e algumas doenças da pele.
MEIO AMBIENTE:Condições ambientais, tais como:ar seco, fumaça, ar-condicionado e vento podem agravar as condições de olho seco.
MEDICAÇÕES:Algumas medicações, como:anti-histamínicos, antidepressivos, anti-hipertensivos, podem contribuir para o olho seco. 
QUAIS SÃO AS OPÇÕES DE TRATAMENTO?
Por ser multifatorial, o tratamento varia de acordo com o paciente.Ele pode atuar na preservação da já escassa lágrima ou estimular sua produção, e dentre as opções terapêuticas tem-se:colírios, géis, pomadas, soro autólogo, plugs lacrimais e até intervenção cirúrgica.Assim como em outras doenças, o diagnóstico e tratamento precoce são importantes.Portanto, sempre consulte um médico oftalmologista antes de começar um tratamento.
Para maiores informações, acesse o site da APOS ( Associação Brasileira de Portadores de Olho Seco) – www.apos.org.br
Dr. Jefferson Batista. 
e-mail:contato@prooftalmoclinica.com.br

Lentes de Contato

O objetivo das lentes de contato é proporcionar-lhe uma melhor visão no dia-a-dia e facilitar a prática de esportes.Elas são pequenos discos de material plástico, usados para corrigir miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia (vista cansada) , para mudar a cor dos olhos (lentes de contato coloridas) e para tratamento do ceratocone.

VANTAGENS E DESVANTAGENS
As vantagens das lentes de contato em relação aos óculos são:maior campo visual, menor distorção e tamanho mais realista dos objetos, uso com óculos para sol, aumento da autoconfiança e eliminação dos óculos embaçados e dos pontos de pressão no nariz e nas orelhas.As desvantagens das lentes são:facilidade de que se percam ou se danifiquem, necessidade de boa higiene ocular, de cuidados regulares e, para alguns tipos de lentes, de um período de adaptação mais longo.Se usadas em piscinas sem óculos de proteção, as lentes de contato podem se perder, se contaminar ou ficar amareladas pelo cloro.
TIPOS DE LENTES DE CONTATO
Dependendo do material de fabricação, as lentes de contato classificam-se em duras, rígidas gás-permeáveis, gelatinosas e gelatinosas descartáveis.Quanto ao tempo de uso permitido, existem as de uso diário, e de uso prolongado.Nenhum tipo de lente é melhor que o outro.Durante a consulta, seu problema visual será avaliado, e depois de saber seu estilo de vida, freqüência com que você irá usa-las e o tempo que dispõe para cuidar delas, o oftalmologista poderá lhe sugerir o tipo mais adequado às suas características pessoais.

O USO DE LENTES DE CONTATO 
O uso de lentes de contato é uma forma de parceria com o oftalmologista, em benefício da sua visão.Essa parceria envolve uma consulta completa, orientação quanto ao tipo de lentes que lhe é mais adequado, teste de adaptação, fornecimento de lentes de qualidade e atendimento em casos de emergência.Concluído o teste de adaptação, a prescrição é encaminhada ao fabricante.Por ocasião do recebimento das lentes, você será treinado (a) para sua colocação e serão fornecidas instruções para manuseio, remoção, cuidados, período de uso e consultas de revisão. 
Dr. Jefferson Batista.
Médico Oftalmologista
CRM-PR 23258
e-mail:contato@prooftalmoclinica.com.br

O que é o Glaucoma?

É uma epidemia silenciosa que atinge meio milhão de brasileiros – homens, mulheres e até crianças.A doença causa alterações no campo de visão devido a dano no nervo óptico e pode levar à cegueira.Há quatro tipos principais de glaucoma: congênito; secundário (aumento de pressão causado por uso de medicamentos); agudo (ocorre geralmente em mulheres) e crônico.A causa do glaucoma não é totalmente conhecida, mas sabe-se que o aumento da pressão interna do olho é o fator de risco mais importante. 

Quem pode desenvolver glaucoma? 
O glaucoma atinge as pessoas de todas as raças, sexo e nacionalidade.Qualquer pessoa pode desenvolver o glaucoma, mas em algumas o risco é maior do que em outras.Vários estudos mostraram que qualquer pessoa que possui uma ou mais das características abaixo apresenta risco maior de desenvolver o glaucoma.
● Pessoas acima de 40 anos; ● Raça negra;
● Histórico de glaucoma na família; ● Diabéticos
● PIO (pressão intra-ocular elevada; ● Altos míopes;
● Uso regular ou prolongado de esteróides (cortisona) ● Trauma ocular prévio.

Quais são os sintomas do Glaucoma?
80 % dos portadores, no início da doença, não sentem nada e não apresentam alterações na visão.Na forma crônica, as alterações só são percebidas quando a doença já está em estágio avançado.Muitos não sabem que têm glaucoma até que perdem uma parte da visão.Não obstante, os oftalmologistas podem detectar e tratar o glaucoma antes que a maioria dos pacientes apresente algum sintoma.O glaucoma se desenvolve lentamente, isto explica por que muitos pacientes convivem com a doença por anos antes de de notar algum sintoma.Os pacientes com glaucoma podem apresentar uma perda gradual da visão periférica, levando ao que chamamos visão tubular”.Lamentavelmente, aperda da visão devido a um dano no nervo óptico é irreversível. Na forma aguda há dor, redução da visão e olho vermelho.Podem ainda haver as formas congênitas e secundárias.

Quais são as opções de tratamento?
O tratamento é feito com uso de colírios, e se necessário, aplicação de laser ou cirurgia, visando reduzir a pressão intra-ocular. Não tem cura, mas têm controle.É possível fazer um controle como o Diabetes ou a Hipertensão Arterial Sistêmica.O glaucoma pode ser tratado efetivamente quando detectado no início.Vários anos de pesquisas têm levado ao descobrimento de numerosos medicamentos que ajudam a preservar a visão de milhões de pessoas.Comprovou-se que este é um caminho efetivo para ajudar a prevenir a perda da visão em pacientes com glaucoma.Somente o oftalmologista poderá indicar a melhor opção para o seu tratamento.

Como Prevenir a Cegueira pelo Glaucoma?
Consultando regularmente o oftalmologista, principalmente se você tem mais de 40 anos, e com parentes próximos com a doença, pertence à raça negra, seja portador de alta miopia ou tenha diabetes. 
Para maiores informações, acesse o site da ABRAG ( Associação Brasileira dos Amigos, Familiares e Portadores de Glaucoma) – www.abrag.com.br
Dr. Jefferson Batista. 
contato@prooftalmoclinica.com.br
Médico Oftalmologista
CRM-PR 23258
Consultório Rua Perobal, 4184.
Fone(44)36227600.

Fotofobia

SAIBA O QUE É,CONHECA AS CAUSAS,E COMO AMENIZAR O PROBLEMA 

Conhecida como fotofobia, a sensibilidade excessiva à luz não tem causa nem cura específica.Quem não conhece alguém que tenha dificuldade em ambientes externos sem óculos escuros, pois parece que os olhos não conseguem absorver tanta luz, e que em dias nublados é pior ainda, porque o céu vira um refletor, e se sai sem óculos a dor de cabeça ao final do dia é certa.
Esses são alguns dos sintomas de uma condição que muita gente tem em diferentes graus:a fotofobia.A fotofobia, é a dificuldade na presença de luz.A retina é formada por células fotossensíveis.Se existe algum problema, os olhos passam a recusar o excesso de informação – no caso a luz – , gerando o desconforto.
A fotofobia, é geralmente um sinal de processos inflamatórios no globo ocular, sejam eles intra ou extra-oculares.Doencas oculares, que envolvem processo inflamatório, como o olho seco, e as uveítes (toxoplasmose ocular), muitas vezes estão associados com o sintoma de fotofobia em maior ou menor intensidade.O uso de alguns medicamentos, pode ter como reação adversa, em maior ou menor intensidade o sintoma de fotofobia.Distúrbios de aprendizado relacionado à visão, como a síndrome de Irlen, e a enxaqueca também apresenta como um dos sintomas a fotofobia.Em doenças congênitas, como, por exemplo, no glaucoma congênito, a reação adversa à luz é o principal sintoma apresentado pela criança quando hà alguma coisa errada com seus olhos. 
Muitos pacientes, chegam no consultório do oftalmologista, com queixa de baixa tolerância à luz, mas depois de um exame detalhado, descobre-se que a pessoa tem algum tipo de doença ocular.A fotofobia, dificilmente ocorre num olho normal.
Embora não seja o mais freqüente, hà casos em que os olhos saudáveis apresentam dificuldade em lidar com a claridade.Pessoas de pele mais clara, sofrem mais com a fotofobia, por ter menos pigmentos na íris, quando a luz bate, reflete dentro dos olhos, funcionando como uma caixa espelhada.Em outros casos, o tamanho da pupila pode ser um fator determinante na intensidade da fotofobia.Uma pupila de menor diâmetro, tem menos chances de apresentar fotofobia, já que a quantidade de luz que entra por ela é menor.
A não ser que a sensibilidade excessiva à luz seja decorrente de doenças oculares, a pessoa tem duas saídas para a fotofobia:aprender a lidar com ela, se o grau for minimamente suportável, ou encontrar maneiras de regular a quantidade de luz que entra nos olhos, seja controlando a intensidade de luzes artificiais, seja usando óculos escuros em ambientes externos, que é a estratégia mais adotada por quem sofre desse mal.
As lentes solares têm como finalidade principal selecionar as radiações que chegam aos olhos.Quanto mais escuras, maior o bloqueio.Hoje, uma boa cor é a que filtra parte da intensidade luminosa mas permite a passagem de todos os componentes da luz branca.As boas lentes mudam um pouco a noção cromática dos objetos, mas não atrapalham.
É importante o uso de lentes de boa qualidade, tanto em relação à matéria prima quanto à confecção.O uso de lentes que não tenham proteção contra raios ultravioleta pode ser extremamente prejudicial.Como os óculos são escuros, a pupila está mais dilatada, mas se não existe proteção contra os raios UV, a quantidade de radiação que entra é maior.Essa luz invisível pode fazer com que as pessoas mais sensíveis tenham predisposição maior a catarata, pterígeo e processos degenerativos da retina.

Dicas para Prevenir a Alergia Ocular

Um número cada vez maior de pessoas sofre de alergias.Atualmente, elas afetam 15 % da população.A conjuntiva é um dos tecidos mais freqüêntemente envolvidos em uma reação alérgica.A intensidade das inflamações alérgicas oculares pode variar consideravelmente, e cada caso exige um tratamento oftalmológico eficaz e complexo.

O QUE É ALERGIA OCULAR?
A alergia ocorre quando o olho entra em contato com substâncias que lhe causam alergia, chamadas alérgenos, que podem ser ácaros (animais microscópicos), poeira, pêlos e pólen.Ocorre principalmente nas pessoas que sofrem de alergia em outras partes do corpo como asma, rinite e alergia de pele, mas também pode ocorrer isoladamente.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE ALERGIAS OCULARES?
Clinicamente, as alergias podem ser classificadas em:
1.Conjuntivite alérgica sazonal;
2.Conjuntivite alérgica perene;
3.Cérato-conjuntivite primaveril;
4.Cérato-conjuntivite atópica;
5.Conjuntivite papilar gigante.

QUAIS SÃO OS SINAIS E SINTOMAS?
Quando isso ocorre, os olhos podem ficar vermelhos, inchados, coceira, sensação de corpo estranho, intolerância à luz (fotofobia), com lacrimejamento e também apresentar discreta secreção aquosa. 

COMO TRATAR A ALERGIA OCULAR? 
Atualmente existem um grande número de medicamentos para o tratamento de distúrbios oculares alérgicos.Com o passar do tempo, as alergias podem causar considerável dano aos olhos.Seu oftalmologista saberá qual o melhor tipo de colírio prescrever para o seu caso.

DICAS PARA PREVENIR A ALERGIA OCULAR
Manter o ambiente sempre livre de pó.
Manter os ambientes arejados e com boa exposição ao sol para evitar formação de bolor.
Evitar objetos que acumulem poeira como: cortina, carpete, tapete, bicho de pelúcia, etc.
Forrar travesseiro e colchão com capas impermeáveis.
Evite uso de vassoura e espanadores, prefira pano úmido para retirar a poeira.
Sempre que possível expor a roupa de cama ao sol e lavar em água quente.
Evitar ambientes com muito pó, fumaça ou com odores fortes.
Lavar roupas guardadas a muito tempo antes de usa-las.
Se possível evitar ter animais domésticos de estimação que soltem pêlos.
Evitar manusear objetos com muito pó (livros, documentos antigos).
Evitar plantas com flores dentro de casa.
Mantenha o filtro do ar condicionado sempre limpo.
Evite coçar os olhos, pois isto estimula mais a alergia ocular, podendo causar um ciclo vicioso

Descolamento de Retina

Saiba o que é e Previna-se
A retina é uma fina camada de células nervosas, que reveste a parte interna do olho, sendo responsável pela formação da imagem .O vítreo é uma espécie de gelatina transparente que preenche o globo ocular, firmemente preso à retina. Com o envelhecimento, o vítreo pode descolar sem que isto, obrigatoriamente, cause danos à visão. Às vezes, com o Descolamento do Vítreo, pode ocorrer uma ruptura na retina. Se isto ocorrer, o vítreo pode passar pela ruptura, e causar o descolamento da retina. A doença geralmente ocorre após os 40 anos. As pessoas que possuem história de descolamento de retina na família, as que têm miopia ou glaucoma e as que se submeteram à cirurgia de catarata apresentam risco maior de desenvolver o descolamento. Os socos ou batida forte no olho, na face ou na cabeça podem, também, provocar descolamento de retina. A doença pode ser, ainda, causada por tumores, inflamações graves ou complicações do diabetes. Mas geralmente, nestes casos não ocorrem ruptura na retina e o tratamento da doença causadora do descolamento pode resolver o problema.
As rupturas na retina podem ocorrer sem que a pessoa perceba inicialmente seus sintomas. Mas, se houver vazamento de sangue no vítreo pode ocorrer comprometimento da visão no olho atingido. Em outros casos, o paciente pode perceber flashes de luz ou pontos negros conhecidos por moscas volantes Esses sintomas não significam, obrigatoriamente, a ocorrência de ruptura na retina, pois as moscas volantes podem decorrer da formação de pequenas partículas no vítreo.
Em casos de descolamento da retina a pessoa poderá perceber uma imagem ondulada ou uma sombra ou cortina escura que fecha o campo de visão. Se o descolamento atingir a região central da retina ocorrerá uma distorção central ou redução da visão central. Em alguns poucos casos o descolamento pode ocorrer repentinamente provocando perda total da visão no olho atingido.
As rupturas na retina devem ser tratadas a LASER , o mais rápido possível, para prevenir um descolamento. Esses tratamentos causam pouco desconforto e podem ser realizados em regime ambulatorial. Já os descolamentos de retina, são tratados por cirurgias. 

Dr.Jefferson Batista.
CRM-PR 23258
Médico Oftalmologista.
contato@prooftalmoclinica.com.br

Cuidados Gerais com os Olhos

DOMÉSTICOS

Não deixe ao alcance de crianças objetos cortantes ou pontiagudos, tais como facas, tesoura, garfos, chaves de fenda, lápis, canetas, varetas e arames, etc.
Em sítios e fazendas, é preciso muito cuidado com animais como galinhas, patos, gansos, gatos, papagaio, etc, que podem atingir os olhos das crianças com picadas ou arranhões, e também com produtos químicos, como água sanitária, soda cáustica, álcool, detergentes, etc.Caso isso aconteça, lave muito bem os olhos com água limpa e, somente após isso, com urgência, procure atendimento médico.
Muitas plantas domésticas espinhosas ou aquelas que soltam líquido leitosos (por ex.:Coroas de Cristo) podem causar problemas sérios se atingirem os olhos.
Pais que fumam nunca devem segurar seus filhos quando estiverem com um cigarro aceso.Assim, evitarão irritações causadas pela fumaça e queimaduras que atinjam o rosto, especialmente os olhos. 

TRÂNSITO

O uso do cinto de segurança é indispensável também dentro da cidade, onde se verifica a maioria dos acidentes com perfurações nos olhos.Criancas de até 12 anos de idade devem estar sempre no banco traseiro.Jamais leve criança de qualquer idade no colo, principalmente no banco da frente.

TRABALHO

O lugar onde trabalhamos deve ter condições mínimas de higiene, iluminação e ventilação.Quanto à vista, é indispensável trabalhar com luz branca sem sombra.
A má iluminação ou excesso de luz causa cansaço visual e diminuição do rendimento no trabalho.Se no seu trabalho você fica exposto à poeira, inseticidas, vapores, ácidos, solda ou objetos volantes nunca deixe de usar os óculos de proteção.Não se esqueça de usá-los também em casa quando realizar tarefas semelhantes.
Há mais olhos perdidos em acidentes de trabalho do que braços e pernas.O cisco no olho
pode ser muito perigoso, se estiver na frente da menina dos olhos (pupila).Fagulha de metal, então, nem se fala.Nunca tente retirá-los com objetos caseiros.Esses casos são sempre de urgência.
O uso repetido de colírio anestésico pode levar à perda do olho.

Dr. Jefferson Batista.
e-mail:contato@prooftalmoclinica.com.br
CRM-23258
Médico Oftalmologista

Conjuntivites

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE CONJUNTIVITE

O QUE É CONJUNTIVITE? 

Comum na época de calor, a conjuntivite é uma inflamação da conjuntiva, membrana transparente que reveste a parte branca dos olhos.Se favorece da combinação de um maior número de pessoas circulando, maior uso da piscina e de alguns hábitos aos quais não damos atenção, como compartilhar maquiagem ou toalhas.

QUAIS SÃO AS CAUSAS DE CONJUNTIVITE? 

A conjuntivite pode ser infecciosa (viral ou bacteriana), alérgica ou irritativa.Em geral, dura de poucos dias a duas semanas.O contágio só acontece quando é infecciosa – causada em geral por vírus.A bacteriana aparece mais frequentemente no ambiente escolar, quando se espalha entre vários alunos da mesma classe.Tanto vírus quanto bactéria podem ser transmitidos por mãos, toalhas, maquiagem para os olhos e até por lentes de contato. 

QUAIS SÃO OS SINAIS E SINTOMAS?

“Olho vermelho” (hiperemia conjuntival), no caso de contágio por vírus, muito vermelho e com lacrimejamento.As pálpebras ficam inchadas e coladas (pior pela manhã), com secreção e sensação de corpo estranho (“areia dentro dos olhos”) além de sensibilidade á luz (fotofobia).

COMO TRATAR?

O tratamento deve ser realizado de acordo com a causa da conjuntivite, portanto, o ideal é contar com o acompanhamento de um médico oftalmologista. 

COMO EVITAR?

Exposição a sol, água do mar ou da piscina, poeira, ar condicionado em excesso e poluição do ar contribuem para tornar as conjuntivites irritativas mais freqüentes.Estar com uma boa resistência – bem alimentado e com o sono em dia – já é uma forma de prevenção.Outras dicas para se proteger, são:evitar os ambientes mais propícios ao vírus, como lugares fechados e lotados, lavar as mãos com freqüência, evitar compartilhar toalhas de rosto, não usar maquiagem de outras pessoas, evitar coçar os olhos e usar óculos de mergulho para nadar.

Dr. Jefferson Batista.
e-mail:contato@prooftalmoclinica.com.br
CRM-23258
Médico Oftalmologista

Computadores e Visão

Cada dia aumenta o número de computadores, nos escritórios, em escolas, hospitais e até mesmo para atividades domésticas, tornando-se imprescindíveis, em qualquer atividade laborar, na área de diversão e comunicação.Pesquisas mostram, que os computadores podem ajudar as crianças a desenvolver a coordenação motora e a habilidade de raciocínio.
Como o computador exige um grande esforço visual, problemas visuais e sintomas tornam-se comuns, podendo ocasionar a síndrome de visão de computador.

O QUE É SÍNDROME DE VISÃO DE COMPUTADOR?
Do inglês “Computer Vision Syndrome” (CVS), é caracterizada por cansaço visual associado com uso prolongado do computador.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DE CVS?
Os sintomas incluem:olhos irritados, vermelhos, coceira nos olhos, “olhos secos”, lacrimejamento, fadiga, sensibilidade à luz, sensação de peso das pálpebras ou da fonte, dificuldade em conseguir foco, enxaquecas, dores lombares e espasmos musculares.

COMPUTADORES PREJUDICAM A VISÃO?
As radiações emitidas por computadores são de intensidade reduzida, não existem evidências de danos à visão, provocados pelo seu uso.O tributo pago pelo homem é representado pelo esforço visual intenso, para desfrutar do conforto da tecnologia moderna.Às vezes, os sintomas de CVS acontecem como resultado de condições externas relacionadas à tela do computador.Estas condições podem incluir:falta de iluminação, má localização da iluminação, posição imprópria do monitor, tela suja e problemas oculares pré-existentes.

QUAL A IMPORTÂNCIA DO EXAME OFTALMOLÓGICO?
Para investigação de problemas visuais como as ametropias (miopia, hipermetropia, presbiopia e astigmatismo) e distúrbios da visão binocular.A fixação da tela por períodos longos provoca esforço intenso de acomodação e convergência.As queixas de cefaléias, cansaço, ardor e até redução de capacidade laborar acompanham os portadores de ametropias não corrigidas, ou até mal corrigidas.Cabe ao oftalmologista julgar, com acerto, a necessidade de correção, assim como a necessidade de óculos especiais para computador.

SETE DICAS PARA EVITAR A FADIGA OCULAR DO COMPUTADOR
1.Aconselha-se 10 minutos de descanso, para cada hora de trabalho.
2.Quando tiver algum desconforto ou sensação de fadiga, olhe por mais ou menos um minuto para o ponto mais distante de sua sala ou local de trabalho.
3.Tente piscar mais, mesmo que de forma consciente.
4.Prefira as telas de computador foscas ou de LCD.Elas têm maior definição e refletem menos a luz.Se não tiver como, diminua o brilho do seu monitor tradicional.
5.Se possível, deixe a tela do computador de dez a 15 graus mais baixa do que o nível dos olhos.Assim as pálpebras ficam mais fechadas e o esforço é menor.Da mesma maneira, nunca deixe a tela acima do nível dos olhos.
6.O ideal é que o monitor fique 50 centímetros distante dos olhos.
7.Se o desconforto tornar-se freqüente, procure um médico oftalmologista para checar se, além de estresse visual, não há algum problema que precise de correção de grau.

Como Detectar Problemas Visuais nas Crianças

Os pais podem ter nos brinquedos grandes aliados na detecção de problemas na visão.A criança demonstra de várias maneiras se possui alguma deficiência visual pela forma como lida com os brinquedos.O jeito com que abotoa a roupa da boneca, o movimento que faz para encaixar pecas ou mesmo pegar objetos são parâmetros para identificar possíveis problemas visuais.
O movimento dos olhos ao acompanhar os brinquedos, por exemplo, é um sinal de como está a visão dos bebês.A posição dos olhos deve ser simétrica em todas as direções.Caso contrário, a criança pode ter estrabismo.Outros detalhes que devem ser observados nos filhos são:se os pequenos levam o brinquedo muito próximo aos olhos; se estão fazendo uma conexão adequada da parte motora com a visual; se demoram para chutar uma bola; se tropeçam com frequência; se estendem apenas uma mão para apanhar objetos; se separa e combina cores corretamente; se não gosta de brincar de encaixar pecas ou tem dificuldades em escolher a peca adequada e colocá-la na posição correta.
Até mesmo o uso de lápis de cor pode ser um indicativo de como anda a visão.Note se a criança usa todas as cores, quais ela prefere (se claras ou escuras) e veja se o lápis sai muito do local do desenho.Com essa simples observação, é possível visualizar se ela tem um bom controle de amplitude e se possui uma visão de cores apurada.Criancas com problemas de visão piscam e fazem caretas mais frequentemente, fecham ou apertam um olho para focar melhor, confundem palavras semelhantes, escrevem de modo superposto ou fora da linha, compreendem dada vez menos na medida em que a leitura progride, perdem interesse rápido no que estão lendo, queixam-se de dores de cabeça , sonham acordados ao invés de prestar atenção à lousa e não conseguem concluir o jogo dos sete erros entre dois desenhos semelhantes.
É importante levar os filhos a fazer exames de visão até que completem seis anos de idade.Assim, é possível detectar e impedir a progressão de distúrbios ou doenças da visão, assim como evitar problemas futuros de aprendizagem.
Como pais podem identificar possíveis problemas de visão nos filhos:Observe se a criança:
 Não liga pontos sequencialmente de modo claro e rápido;
 Fica com a cabeça muito próxima ao livro de histórias;
 Só consegue ler se usar o dedo para acompanhar;
 Quando lê; tende a tombar a cabeca para um lado;
 Não troca sempre de lápis de cor;
 Tropeça com frequência;
 Demora a chutar uma bola;
 Não gosta de brincar de encaixar pecas.

Colírios

Há vários tipos de colírios, destinados ao tratamento de diferentes doenças dos olhos.Os olhos, entretanto, são órgãos de muita sensibilidade, assim sendo, o uso de qualquer tipo de colírio, sem orientação e controle de médico, poderá causar mais problemas do que resultados positivos.Por exemplo, um colírio bom para a conjuntivite de uma pessoa poderá ser prejudicial para outra que aparentemente tenha o mesmo problema.
A utilização incorreta dos colírios e o conseqüente perigo da contaminação é um dos maiores problemas verificados pelos especialistas no tratamento do glaucoma. Isso causa o agravamento dos sintomas e faz com que o oftalmologista acabe recomendando tratamentos mais fortes e incômodos, inclusive a cirurgia.
O uso incorreto do colírio é um dos desafios, mas o esquecimento é outro. Para evitá-lo, o melhor é ligar o medicamento a “tarefas” diárias. Isto é, ao invés de lembrar do período de 12 em 12 horas, instilar após o café da manhã e após o jantar, o que geralmente dá no mesmo.
É importante também que os familiares ajudem a lembrar o portador de glaucoma, que em muitos casos é idoso.
Como usar um colírio:

1.Lave as mãos;
2.Levante a cabeça e puxe a pálpebra para baixo a fim de que o colírio caia dentro do olho;
3.Use apenas uma gota;
4.Não encoste o bico do frasco.
5.Mantenha os olhos fechados por 2 minutos;
6.Não esfregue os olhos ou pisque depois de pingar o colírio.
7.Caso vá aplicar outro colírio, aguarde 15 minutos.

Cuidados com o Colírio:

1.Os vidros devem ser mantidos bem fechados e ao abrigo da luz.
2.Vidros abertos hà muito tempo devem ser jogados fora.Observe o prazo de validade impresso no rótulo ou na caixa.
3.Ao usar o colírio, coloque a tampa em lugar limpo, evitando que a parte de dentro encoste em qualquer superfície ou objeto.

Atenção: O uso excessivo de colírio pode causar sérios problemas para os olhos, por isso, siga sempre a orientação do médico.

Dr. Jefferson Batista.
E-mail:contato@prooftalmoclinica.com.br
Médico Oftalmologista
CRM-PR 23258.

Cirurgias de Catarata (INFINITI VISION SYSTEM)

A Catarata é removida por meio da facoemulsificação ou cirurgia com pequena incisão. Usando, apenas, anestesia tópica(colírios) faz-se uma incisão em degrau de cerca de 2,5 mm na esclera (parte branca do olho) ou na córnea clara (logo acima da área onde a córnea encontra a esclera) . Com o ultra-som, a catarata é fracionada em partículas microscópicas aspirada. Em seguida, para compensar a remoção do cristalino, é implantada uma lente intra-ocular (LIO). A incisão em degrau faz com que o olho permaneça completamente selado pela pressão natural externa.

Cirurgia Refrativa

Miopia, Astigmatismo e Hipermetropia
AVANÇOS QUE PODEM FAZER A DIFERENÇA NA SUA VISÃO E MELHORAR SUA QUALIDADE DE VIDA

Excimer laser é o método mais avançado para diminuir a dependência dos óculos e lentes de contato.A utilização deste laser para cirurgia iniciou-se em 1985 e hoje é considerado o tratamento ideal para correção de miopia, astigmatismo e hipermetropia.
Existem duas técnicas utilizadas, PRK e LASIK.A escolha por uma delas dependerá exclusivamente da avaliação feita por seu oftalmologista, das condições gerais de sua córnea e do seu grau.O laser vai “esculpir” na própria córnea a “lente” necessária para corrigir o erro refrativo dos olhos.

CORREÇÃO DA VISÃO A LASER

A cirurgia é realizada em um centro cirúrgico ambulatorial dispensando a internação.A anestesia é tópica (instilação de colírios).Uma fotografia do olho é obtida e nesse momento o paciente tem seu primeiro contato com o ambiente cirúrgico.Em 15 minutos após a dilatação da pupila, o paciente estará apto para a aplicação do laser.
É importante lembrar que apesar de ser um tratamento rápido e seguro não deixa de ser um procedimento médico-cirúrgico.
Após a cirurgia serão necessários alguns cuiados orientados pelo seu oftalmologista que deverão ser rigorosamente obedecidos.

VOCÊ É UM CANDIDATO AO LASIK?

É necessário realizar alguns axames específicos nos olhos para saber se você poderá ser operado.A cirurgia a laser pode ser feita para a maioria dos graus de miopia, hipermetropia e astigmatismo, pessoas acima de 18 anos e que não tenha registrado aumento significativo no grau nos últimos 12 meses.As pessoas portadoras de alguns problemas médicos podem não ser boas candidatas à cirurgia.
Como a PRK, o LASIK é uma cirurgia corrente da prática médica oftalmológica considerada pelo Conselho Federal de Medicina para correção da Miopia e do Astigmatismo.
Consulte seu oftalmologista sobre a possibilidade de você diminuir ou mesmo eliminar a necessidade de uso de seus óculos.

Dr. Jefferson Batista.
e-mail:contato@prooftalmoclinica.com.br
CRM-23258
Médico Oftalmologista

Ceratocone

SAIBA O QUE É, E CONHECA A EVOLUCÃO DO TRATAMENTO E OS AVANCOS DA MEDICINA.

O Ceratocone é uma doença distrófica, lentamente progressiva, que acomete a córnea (membrana transparente que cobre a íris como um vidro de relógio), produzindo seu afinamento e conseqüente enfraquecimento, que leva a um abaulamento em forma de cone.Daí surgiu o seu nome (cerato- córnea, kone- cone).O formato irregular em forma e espessura do cone compromete a visão pela formação de grandes graus de miopia e astigmatismo que não são corrigíveis por óculos.Geralmente, a doença começa em um, mas acaba acometendo os dois olhos.Seu início se dá, normalmente, na adolescência, começando com pequena irregularidade que distorce a visão muito ligeiramente.Não é associada a dor ou vermelhidão ocular.O diagnóstico definitivo do Ceratocone é feito com base em características clínicas e em exames objetivos como a Topografia Corneana, que mostra, em imagem, a curvatura e o formato preciso da córnea interna e externamente.Uma em cada duas mil pessoas é afetada pela doença, igualmente entre homens e mulheres.
Nas fases inicial e moderada, o tratamento consiste na correção visual através do uso de óculos e, principalmente, lentes de contato.À medida que a doença evolui, a adaptação à lente piora e, normalmente, nesta fase, é feita a indicação cirúrgica. A cirurgia clássica para a correção do Ceratocone é o transplante de córnea.Os resultados com o transplante estão entre os melhores e mais seguros, mas nós médicos, sempre que possível, tentamos evitar cirurgias consideradas invasivas.
A Resolução do Conselho Federal de Medicina n° 1762/05, publicada no Diário Oficial da União em 26 de janeiro de 2005, é o coroamento de um trabalho iniciado em 1986, pelo Dr. Paulo Ferrara, seu criador, que resolve considerar o implante de anel-intra-estromal na córnea usual, na prática médica-oftalmológica, para o tratamento de pacientes com ceratocone nos estágios III e IV.Hoje, esta técnica é praticada por quase duas centenas de oftalmologistas brasileiros e por outros tantos de vários países das Américas, Ásia e Europa.O anel Corneano Intraestromal – também conhecido como Anel de Ferrara, uma órtese feita de material semelhante ao das lentes intraoculares, que permite que se evite o transplante ou, nos casos mais graves, que se adie esse procedimento por um longo período.O objetivo é melhorar a visão, permitindo o uso de óculos ou lentes de contato e adiar, se possível definitivamente, o transplante. Mais recentemente, ainda em fase de estudos, também para evitar a progressão da doença, tem sido utilizado o “Cross-Linking” do colágeno corneano.O tratamento consiste em aplicar riboflavina (vitamina B12) sobre a superfície da córnea e em seguida aplicar raios ultravioleta do tipo A. O procedimento é ambulatorial e dura aproximadamente uma hora. O tratamento tem por objetivo aumentar o número de ligações entre as fibras de colágeno da córnea doente e criar uma estrutura mais rígida a fim de impedir ou retardar a progressão do ceratocone. O tratamento aumenta a rigidez corneana em cerca de 50%, fortalecendo-a e tornado-a menos maleável.

Dr. Jefferson Batista.
e-mail:contato@prooftalmoclinica.com.br
CRM-23258
Médico Oftalmologista
Membro Fundador do Clube de Amigos do Anel de Ferrara.
Médico Filiado a Banco de Olhos nos Estados Unidos.

Cirurgia de catarata a laser, mito ou realidade ?

A mais comum, e avançada técnica cirúrgica para tratamento da catarata é a facoemulsificação ou “ faco “.Inicialmente, o cirurgião faz uma incisão na borda da córnea e então cria uma abertura na membrana que reveste a lente com catarata.Esta fina membrana é denominada de cápsula.Posteriormente, uma pequena sonda de ultrasson é inserida através da abertura na córnea e cápsula.A vibração da ponteira da sonda, emulsifica a lente embaçada em pequenos fragmentos que são succionados para fora da cápsula pela aderência da ponteira.Após a lente ser completamente removida, a sonda deixa a cápsula como um saco, que servirá de suporte para a lente intraocular. A facoemulsificação permite a cirurgia de catarata ser realizada através de uma pequena incisão na córnea.Suturas raramente são necessárias para fechar a pequena incisão, que significa que existe menos desconforto e rápida recuperação visual do que outras técnicas.Pequenas incisões, não mudam a curvatura da córnea como as grandes que são requeridas em técnicas mais antigas.Esta permite reabilitação visual mais rápida e possibilidade de menor dependência de óculos para boa visão a distância.Após a remoção da lente danificada (catarata), uma lente artificial (IOL) é implantada.Feita de acrílico maleável ou silicone, as lentes dobráveis podem ser implantadas com um pequeno injetor, o qual usa a mesma incisão através da qual a sonda de faco foi inserida no início do procedimento.Assim, a lente é implantada, e desdobrada, atrás da pupila, permanecendo no saco capsular.A lente implantada, é selecionada com base no poder dióptrico calculado antes da cirurgia. Muitas pessoas acreditam que a cirurgia de catarata é tipicamente realizada com laser.De fato, esta é uma das maiores aspirações na medicina.A sonda que é comumente usada na moderna cirurgia de catarata vibra rapidamente com a freqüência do ultrassom para quebrar a catarata e permitir que seja removida através da pequena abertura para a sonda.Um instrumento recentemente desenvolvido usa agora um laser para quebrar a catarata, mas o laser não é tão potente quanto o ultrassom, e não pode ser utilizado para remover cataratas avançadas.Atualmente, não existe evidência de que aparelhos de faco a laser produza melhores resultados que aparelhos de faco por ultrassom.O desenvolvimento do femtosecond laser para cirurgia de catarata já está sendo utilizado em fase experimental em alguns países como nos Estados Unidos, e promete ser uma realidade mundial nos próximos 5 anos, tornando a cirurgia de catarata ainda mais segura, precisa e reprodutível.
A anatomia do olho e a presença ou ausência de outras condições como glaucoma pode determinar o melhor método para cirurgia de catarata.Considerando uma cirurgia de catarata, pacientes podem discutir detalhes do procedimento com seus oftalmologistas, mas a decisão de qual técnica é mais apropriada deve ser decisão do cirurgião.

Catarata

A Catarata é um dos problemas mais comuns a prejudicar a qualidade de vida das pessoas com mais de 60 anos.Resultado do envelhecimento natural do corpo humano, o ofuscamento da visão vai progressivamente afetando atividades cotidianas como ler, dirigir, passear ou ver um filme.Com o avanco tecnológico, hoje é possível enfrentar esse problema com seguranca.
A mais moderna e mundialmente difundida técnica da facoemulsificacão que, através de uma minúscula abertura de apenas 2 mm, permite que a catarata seja fragmentada e removida por um aparelho de ultra-som.Em seu lugar é implantada uma lente intra-ocular.
O procedimento dura cerca de 10 minutos na grande maioria dos pacientes, sendo liberado para retornar para casa pouco mais de uma hora após o término do tratamento.
A cirurgia pode eliminar a necessidade de óculos.Vários modelos de lentes intra-oculares podem ser utilizados.Com as modernas lentes multifocais, que permitem boa visão de longe e perto, a maioria dos pacientes operados deixa de usar óculos.Com isso, podem voltar a desenvolver atividades profissionais, esportivas e de lazer que haviam abandonado pela dificuldade de visão.