Curiosidades

Você sabe o que é o terceiro olho?

Uma das antigas tradições hinduístas considera o ponto situado no meio das sobrancelhas como o terceiro olho.No hinduísmo isso é associado à capacidade intuitiva e à percepção sutil das coisas.Mesmo sendo uma tradição oriental, essa expressão curiosamente é explorada no Ocidente, sobretudo quando atribuímos uma terceira visão (ou dimensão), mas com uma conotação diferente.No ioga, o terceiro olho é denominadoAjna e é o sexto chacra – canal do corpo por onde circula a energia que nutre órgãos e sistemas.Situa-se no ponto entre as sobrancelhas.Quando bem desenvolvido, esse terceiro olho pode indicar um sensitivo de alto grau.Já quando fica anfraquecido relaciona-se ao primitivismo psico-mental ou, no aspecto físico, para tumoracão craniana.

Visão periférica explicaria sorriso da Mona Lisa

O sorriso no rosto da Monalisa é enigmático porque desaparece quando se olha diretamente para ele, segundo a cientista americana Margaret Livinstone. 
A professora, da Universidade de Harvard, disse que o sorriso só se torna aparente quando o observador olha para outras partes do quadro. O misterioso sorriso da Mona Lisa, pintada por Leonardo da Vinci no século XVI, vem intrigando os amantes da arte há cinco séculos. 
A teoria de Livingstone foi apresentada durante um encontro anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS, na sigla em inglês) em Denver, no Estado do Colorado, Estados Unidos.
Sombras 
Existem dois tipos de visão, central e periférica. A visão central é excelente para captar detalhes, mas não é muito eficiente na percepção de sombras, por exemplo. 
“A qualidade enigmática do sorriso da Mona Lisa pode ser explicada pelo fato de que ele é captado melhor pela visão periférica”, disse Livingstone. 
Quanto mais uma pessoa olha fixamente para um ponto, menos útil é a sua visão periférica. Livingstone disse que Da Vinci usou o mesmo princípio ao pintar a Mona Lisa: o sorriso só se torna aparente se o observador olhar para os olhos ou para outras partes do rosto. 
O quadro de Da Vinci, talvez o mais famoso retrato de todos os tempos, pertence ao acervo do museu Louvre, em Paris. 
A cientista Margaret Livingstone também usou um quadro do pintor impressionista Monet, que mostra um sol cor-de-laranja contra o céu azul, para demonstrar que os grandes mestres da pintura entendiam profundamente o olho humano. 
“Estou desmistificando técnicas conhecidas há anos por alguns artistas, mas não quero diminuir sua arte de forma alguma”, disse ela. 
“Esses artistas – os impressionistas, Da Vinci, Chuck Close e Robert Silvers, por exemplo – descobriram verdades fundamentais que os cientistas estão apenas começando a conhecer.”

Por que o céu é azul ?

O sol emite luz de todo espectro de cores.Se um astronauta, no espaço, olha para o sol, ele parece branco.Se ele olha além do sol, o espaço de fora parece preto, pois os fótons que não vêm direto a ele passam através do espaço e não são refletidos para ele.Na terra, a atmosfera, que contém ozônio, areia, gotas de água e muitas outras substâncias e moléculas refletidas, está interposta entre sol e os nossos olhos.A atmosfera dispersa luz azul mais do que vermelha, amarela e verde.Por isso, se durante o dia nós olharmos além do sol, veremos os fótons azuis que estão sendo inclinados para nós, e o céu parece ser azul.

Por que o pôr-do-sol é vermelho? 
Ao anoitecer, para nos alcançar, a luz do sol tem que passar por muito mais atmosfera do que na luz do dia.Por isso, mais fótons verdes e azuis são desviados da atmosfera.Os fótons vermelhos e amarelos têm melhor penetração.Se alguns deles são eventualmente desviados para nós por nuvens ou por areia, nós vemos um céu vermelho.Similarmente, o sol parece vermelho.

Por que as flores brancas são brancas?
A cor de um objeto, o qual não seja branco ou preto, depende do número relativo de fótons de cada comprimento de onda que ele absorve ou reflete.Nossa luz ambiente, derivada do sol, contém, aproximadamente igual, um número de fótons que fazem parte do espectro de luz.A pintura branca reflete igualmente todos os fótons; portanto, flores brancas parecem brancas.

Por que as flores azuis são azuis?
Os pigmentos das flores azuis absorvem melhor os fótons vermelhos e amarelos, depois os verdes; em menor quantidade, os azuis; por isso, os fótons azuis são mais refletidos do que os outros, e o olho vê azul.Uma folha verde é verde porque a clorofila absorve mais o vermelho e o azul, e reflete o verde.

Por que o carvão é preto ?
O carvão absorve a maior parte da luz que incide sobre ele.Por isso, muito poucos fótons são refletidos para o olho; os fotorreceptores não são estimulados e nenhuma cor é vista.

Sensibilidade à claridade indica algum problema?

Sensibilidade à claridade indica algum problema? Não necessariamente, dias ensolarados podem causar desconforto ocular. Mas, a hipersensibilidade à claridade pode ser sinal de um problema mais sério, mas só um exame oftalmológico completo poderá determinar esta situação.

Saiba sobre a história dos óculos

A palavra óculos, surgiu do termo ocularium, da Antiguidade Clássica. Esse termo era utilizado para designar os orifícios feitos nas armaduras das cabeças dos soldados e que os permitia enxergar.
Liderados por Aristótelos, filósofos gregos, defendiam a idéia de que a percepção da imagem não tinha relação entre olho e cérebro. Acreditavam que a emoção residia no coração e, portanto, a visão tinha importância menor no aperfeiçoamento do ser humano. Os óculos hoje, são considerados acessórios de moda, mas, nem sempre foi assim, para chegar a este status atual, os óculos percorreram um longo caminho.
É possível encontrar algumas referência a existência dos óculos em algumas citações do filósofo chinês Confuncio, 500 anos AC.
Os primeiros óculos não tinham grau nas lentes, então eles eram usados como adorno, ou forma de discriminação social, principalmente no caso de doentes mentais.
A partir do século I d.C é que apareceram as primeiras lentes corretivas, feitas com pedras semi-preciosas como o cristal de rocha, que eram cortados em finas camadas que se transformavam em lentes de aumento para perto. Isto só foi possível graças ao matemático árabe Alhazen, que, perto do ano 1000 d.C., formulou uma teoria sobre a incidência da luz sobre espelhos esféricos e sua ação no olho humano. Os monges que trabalhavam nas grandes bibliotecas da Europa, foram grandes beneficiados com este novo artefato. Em 1270, na Alemanha, foi criado o primeiro par de lentes com aros de ferro, unidos por rebites. Era semelhante a um compasso, e não possuía hastes.
Neste mesmo século, em Florença, foi criado um outro modelo que fez grande sucesso, concedendo aos italianos a fama ligada aos óculos. Somente dois ou três séculos depois, após muitas pesquisas, foi possível o desenvolvimento de óculos mais seguros e confortáveis. Os modelos mais usados no século 15 eram o Pince-nez, que não tinha hastes e era ajustado apenas no nariz, e o Lornhons, que tinham haste lateral, mas não eram ainda apoiadas nas orelhas.
Somente no século 17 surgiram as hastes fixas para serem apoiadas nas orelhas.
O design dos óculos, foram ampliados com o uso do plástico e seus derivados, para a fabricação de armações, assim como o avanço da tecnologia na produção de lentes cada vez mais precisas, finas e leves.
No Brasil, os óculos surgiram na primeira metade do século XVI, com o processo de colonização portuguesa. Os religiosos, principalmente jesuítas, funcionários da Coroa portuguesa, colonos abastados e homens de letras”, conta Neto.
Podemos dizer, que os óculos são artefatos com grande valor para a qualidade de vida dos seres humanos. Possibilita o alcance da visão, o enxergar a vida. Imaginar a vida das pessoas sem a existência dos óculos é um exercício que pode nós mostrar o impacto que isto causaria na vida de tantos ao nosso redor.
Assim, os óculos já fazem parte da vida de milhões de pessoas em todo mundo já há muito tempo e provavelmente continuarão presentes, sendo os companheiros dos olhos, para que eles possam exercer com maior precisão a sua função de trazer formas, mov imentos e cores à vida das pessoas.

Por que “ olho de gato” ?

Por que “ olho de gato” ? Todo mundo já utilizou a expressão “ olhos de gato” para definir alguém que enxerga muito bem.O que difere o olho do gato é que esse animal tem a capacidade de captar melhor mínimas quantidades de luz ao seu redor, pois tem em seu sistema ocular bastões e cones, além de células receptoras na retina que captam a luz.A luz, ao passar por essas células, reflete-se por até 15 camadas de células brilhantes, denominadas “Tapetum lucidum” o que forma uma espécie de espelho.A luz volta refletida, tocando novamente os cones e bastões.O brilho provoca um efeito de luminosidade que percebemos nos olhos dos gatos no escuro, como se fossem verdadeiros faróis.Isso é o que capacita o gato a discriminar visualmente um objeto com até um sexto da luz necessária para o ser humano.Outro aspecto relacionado aos gatos é que o campo visual desses animais é maior do que o do ser humano, adaptando-se assim a situações de caca, além de melhor profundidade e distância.

Por que olho de porco é utilizado em pesquisa experimental ?

Na obra De humani corporis fabrica, do médico belga Andreas Versalius, de 1540, há ilustração do porco sendo utilizado em experimentação, prática essa realizada cerca de mil anos antes pelo médico grego Galeano.Desde a antiguidade, a medicina reconhece uma significativa semelhança fisiológica, morfológica, bioquímica e até mesmo a fisionomia interna do suíno com a do homem.Ao longo dos anos, constatou-se que o porco doméstico tem 95 % dos genes humanos, mais próximo inclusive do homem que alguns primatas.Os porcos têm os olhos muito parecidos com os dos humanos, além do aparelho digestivo e os pulmões, por isso é bastante utilizado em pesquisas experimentais.Muitas pesquisas científicas atualmente utilizam porcos, em especial na oftalmologia.Para essa finalidade, inclusive, foram desenvolvidos porcos conhecidos como minipigs.
Fonte:Revista Linha Médica.

Pintores impressionistas sofriam de miopia

O estudo do oftalmologista australiano Noel Dan traz uma perturbadora novidade para a história da arte.De acordo com seu artigo, publicado no Journal of Clinical Neurosciense, as imagens borradas criadas por pintores impressionistas como Monet, Degas, Renoir, entre outros, estariam relacionadas à miopia, da qual eles sofriam. O médico afirma que as paisagens confusas, a falta de detalhes e a vivacidade das cores são efeitos idênticos causados na visão de uma pessoa míope.

Pesquisa relaciona ato de somar e subtrair ao movimento dos olhos

Pesquisa relaciona ato de somar e subtrair ao movimento dos olhos
O processo mental de somar e subtrair utiliza o mesmo circuito cerebral que controla o movimento dos olhos para a direita ou para a esquerda, segundo pesquisadores franceses.A descoberta, publicada na Science, indica que o calculo mental recicla um antigo sistema neuronal, originariamente dedicado a visualizar e compreender o espaço físico para poder realizar esta tarefa mais complicada.A explicação neurobiológica e que atividades como a escrita e a matemática são muito recentes para que a seleção naturaldedique mecanismos cerebrais específicos.Os pesquisadores utilizaram dados de ressonância magnética para ensinar um software a prever a direção da movimentação do olhar de varias pessoas, para a direita ou a esquerda, com base na atividade neuronal do cérebro.As pessoas estudadas pelo computador resolveram os problemas matemáticos usando números e outros símbolos e conjuntos de pontos, mas, em todos os casos, o movimento do olho para a direita foi relacionado com a soma, enquanto para a esquerda significava subtração.A exceção foram os participantes árabes, que lêem da direita para a esquerda tanto números quanto palavras, e nos quais aconteceu o contrario.Os resultados da pesquisa podem servir para adaptar melhor aprendizagem da matemática as características dos processos mentais, implicados e já há provas solidas de que pelo menos a divisão e a multiplicação dependem de diferentes tipos de representação que não estão tão ligados a dimensão esquerda-direita.
Fonte Science.

Pacientes com doenças oculares, como glaucoma ou catarata, devem poupar a visão?

Pacientes com doenças oculares, como glaucoma ou catarata, devem poupar a visão? Não. Em geral a presença de qualquer condição crônica não requer a limitação para uso dos olhos, exceto quando houver recomendação expressa para tal.

Origem da expressão "enxergar com olhos de águia".

Muitos animais possuem a visão em preto e branco. Alguns deles, entretanto, enxergam melhor do que o homem, como por exemplo a águia (daí vem a expressão “enxergar com olhos de águia”). Outros, como o rinoceronte, são extremamente míopes. Mas o mais interessante é que vários animais enxergam uma parte dos raios infravermelhos. Isso lhes permite caçar durante a noite, já que um corpo emite raios infravermelhos conforme a sua temperatura. As grandes aves da rapina têm visão mais apurada de todas as aves e podem detectar um alvo a uma distância três vezes superior à conseguida pelos seres humanos. Um falcão peregrino (Falco peregrinus), em condições ideais, consegue localizar um pombo a mais de 8 km.

Olhos azuis: todos teriam o mesmo ancestral

Todas as pessoas que têm olhos azuis teriam um antepassado comum, aponta um estudo realizado por cientistas da Universidade de Copenhague, na Dinamarca.De acordo com os pesquisadores, uma mutação ocorrida em um gene de uma pessoa há cerca de 10 mil anos teria alterado a produção da melanina, que propicia a cor aos olhos também.Essa mutação, que aconteceu em apenas uma pessoa, foi transmitida para as outras com olhos azuis.O estudo foi publicado na revista Human Genetics.Os cientistas analisaram o DNA de 800 pessoas com olhos azuis de várias regiões, como a Europa, Jordânia e Turquia.O estudo mostrou que homens e mulheres com olhos azuis têm praticamente a mesma sequência genética na parte do DNA responsável pela cor dos olhos.Contudo, os olhos castanhos apresentam um grau considerável de variações individuais no DNA.

Olho-de-tigre

Muitas lendas e mitos dizem que usar a pedra olho-de-tigre pode trazer benefícios para a saúde e bem estar espiritual.Essa pedra, que na verdade e um quartzo com propriedades especificas, e bem parecida com o olho do felino e muitas pessoas acreditam que ter essa pedra por perto ajuda a melhorar a visão, já que essa faz com que as pessoas enxerguem no escuro.No extremo Oriente, alem de aprimorar o poder intuitivo das pessoas, e usada como amuleto para afastar de perigos e maus espíritos e ainda favorece as relações pessoais e nos negócios.Atribui-se ainda a olho-de-tigre poderes no tratamento da artrite e na base cervical da coluna.

Fonte:Revista Universo visual.

Existe alguma dieta para beneficiar a visão?

Existem estudos para determinar o papel da dieta e da nutrição na prevenção e/ou tratamento de doenças oculares, mas ainda não existe comprovação científica capaz de orientar uma dieta especial. No entanto, existe uma relação determinada entre problemas oculares e uma deficiência de vitamina A. Estudos também apontam que a suplementação de uma dieta normal com doses extras de vitamina A não tem efeito reconhecido, mas dieta a base de vitamina B e E tem sido usada na prevenção do glaucoma e catarata.
As nozes e o azeite de oliva possuem gorduras e antioxidantes que protegem
A retina.Fontes de ômega-3, como a linhaça, o salmão e a sardinha, também ajudam a prevenir doenças da retina, capazes de levar à cegueira.
A luteína e a zeaxantina também são antioxidantes que protegem a retina.A luteína pode ser encontrada no agrião, na rúcula, no espinafre, na escarola, na couve e no tomate; e a zeaxantina no milho, na abóbora e em flores comestíveis, como a capuchinha.

Existe algum tipo de exercício para o fortalecimento dos olhos?

Existe algum tipo de exercício para o fortalecimento dos olhos? A insuficiência de convergência e outras formas de coordenação muscular dos olhos pode ser melhoradas com exercícios ortópticos (que corrige a obliquidade de um ou ambos eixos visuais). Não há exercícios cientificamente comprovados para tratamento ou prevenção dos erros refrativos da vista cansada
Exercício de relaxamento dos olhos:
1. Olhando para a ponta de seu dedo ou de lápis aproxime-o até a
ponta do nariz (ficar zarolho). Repita três vezes lentamente.
2. Movimentos circulares, acompanhando a figura de um círculo,
girar os olhos para a direita e para a esquerda.
3. Movimentar os olhos acompanhando a figura de um oito.
OBS: Após cada exercício feche os olhos por trinta segundos abra-os e olhe no infinito sem ponto de fixação. Recomendamos estes exercícios 2 vezes por dia. Está comprovado que estes exercícios mudam o estado emocional do indivíduo e amplia o seu campo de visão físico.

Conheça o Museu dos Óculos

Museu dos Óculos Gioconda Giannini que pertence ao esteta ótico Miguel Giannini surgiu há quatro anos e leva o nome de sua mãe. O museu ocupa uma parte do piso superior de um casarão do início do século passado onde também funciona uma das lojas de Giannini em São Paulo.
Aberto ao público para visitação, o museu conta com cerca de 600 peças em seu acervo com 200 em exposição.
O museu permite uma viagem no tempo e na história dos óculos através de modelos raros e antigos como uma coleção chinesa do século 18 com estojos de escamas de peixes e também réplicas dos primeiros modelos descobertos na Alemanha no final do século 13.
Alguns tipos curiosos como um óculos-leque de tartaruga mostram como se disfarçava a necessidade dos óculos em festas e reuniões nos séculos 18 e 19.
A partir dos anos 30, todo o conceito na fabricação dos óculos mudou. Eles passaram a ser mais leves e elegantes. Nos 60 e 70, uma revolução aconteceu com o surgimento dos plásticos e também por influência da moda pop e irreverente da época. Estão lá também na mostra um modelo original do estilista André Courrèges e um outro que é ícone dos 60’s: enorme e com lentes azuis que já foi capa de várias revistas.
Uma parte da exposição é reservada aos óculos de pessoas famosas que doaram seus exemplares ao museu como o de Jô Soares, o de Elis Regina e o da apresentadora Angélica, entre muitos outros.
Objetos e máquinas antigas utilizadas por oftalmologistas ocupam um outro espaço e mostram um pouco da evolução na área do diagnóstico e medição de graus.
O Museu Gioconda Giannini fica na rua dos Ingleses, 108, Bela Vista, SP, tel.: 11 3253-2000

Como é a visão de um cachorro ?

Como é a visão de um cachorro? Uma dúvida comum é se o cão enxerga em cores ou em preto-e-branco e a verdade é que eles têm a capacidade de enxergar cores, mas não da mesma maneira que nós. Para os cães, as cores verde, amarelo, laranja e vermelho não têm diferença nenhuma. É uma espécie de daltonismo para estas cores. Mas o cão consegue diferenciar as cores violeta, azul e verde.
Muitos estudiosos crêem que o cão enxerga um tom de amarelo quando olha para as cores vermelho, verde e amarela, e seria exatamente por isso que ele não conseguiria diferenciá-la. Em resumo, os cães enxergam cores, mas com menos matizes e menos precisão que nós, que conseguimos diferenciar cerca de 10 milhões de cores e combinações diferentes. Por outro lado, eles tem a capacidade de perceber tantos tons de cinza que é quase impossível testar completamente este talento, em função de nossas próprias limitações.
A explicação mais aceita para este fenômeno é que os canídeos antigos, antepassados de nossos cães, eram caçadores noturnos e a diferenciação dos tons de cinza era muito mais importante que a visão das cores.E como todos os predadores, os cães identificam rapidamente objetos em movimento. Isso era fundamental para seu bom desempenho na caça. Ainda hoje existem numerosas raças que “caçam com a visão”, como os galgos, whippets e quase todos os lebréis. Este é um fator dos mais desenvolvidos na visão canina, podendo, em campo aberto, distinguir objetos do tamanho de um gato em movimento a quase 1.000 m. Por outro lado podem demorar a enxergar um objeto parado que você tenta mostrar a 1 metro de distância. Por isso é mais fácil chamar a atenção de seu amigo com movimentos e sinais.Portanto podemos afirmar que os cães não enxergam melhor ou pior que nós, apenas o fazem de uma forma diferente.

Carro com o movimento dos olhos

Raul Rojas e seu grupo apresentaram o protótipo da tecnologia chamada EyeDriver em um aeroporto da capital germânica.O pesquisador de inteligência artificial da Freie Universität Berlin, na Alemanha, diz que a tecnologia rastreia os movimentos oculares do motorista e, na rotação, conduz o carro em qualquer direção para a qual ele esteja olhando.Os movimentos dos olhos do motorista são coletados e convertidos em sinais de controle para o volante.Além disso, o carro também é um veículo autônomo, equipado com navegação GPS, câmeras, lasers e scanners que o habilitam para dirigir sozinho.Vários detalhes ainda precisam ser avaliados para a comercialização e implementação em âmbito mundial, mas o protótipo, de alta tecnologia, está em plena expansão para futura utilização.
Fonte:Freie Universität Berlin.

Assistir televisão de perto pode danificar os olhos ?

Assistir televisão de perto pode danificar os olhos? Não. Ficar próximo pode cansar ou causar incômodo, mas não dano físico. Entretanto, o hábito de ficar muito próximo da televisão ou de livros, pode indicar a presença de miopia, e dependendo da postura e distância, pode causar astenopia (dor nos olhos, turvação da vista, cefaléia).

A visão em três dimensões (ou esterioscópica)

A visão em três dimensões (ou esterioscópica) Depende muito do fato de possuirmos dois olhos (visão binocular). Você pode verificar que, ao fechar um de seus olhos, perderá grande parte da noção das distâncias entre os objetos. Isso ocorre porque os dois olhos captam a imagem do mesmo objeto de posições diferentes, devido à distância entre os olhos. Essas duas imagens são superpostas no cérebro, o que dá a sensação de 3D.
Na realidade, existem outros fatores que influenciam na visão tridimensional, tais como a observação de paralaxe entre objetos e a comparação entre os seus tamanhos.

A pupila do olho é preta, mas fica avermelhada em fotos tiradas com "flash".

A pupila do olho é preta, mas fica avermelhada em fotos tiradas com “flash”.
O olho humano é como uma câmara escura com um orifício, a pupila . Como, normalmente, a luminosidade é maior fora do que dentro do olho, nós enxergamos a pupila preta. Entretanto, o fundo do olho, a retina, é intensamente irrigado por vasos sanguíneos, o que lhe dá uma cor vermelho-alaranjada. Por isso quando uma luz intensa, como o “flash” de fotografia, entra no olho, a cor vermelha é preferencialmente refletida. Isso deixa a pupila avermelhada nas fotografias.

A cor dos olhos pode mesmo influenciar a visão?

Será que a cor dos seus olhos podem afetar mais do que apenas a sua capacidade de conseguir namorado (a)?O que se sabe até hoje é que pessoas que possuem , pelo fato de que não há pigmento o suficiente para bloquear os raios de luz e proteger a visão. Isso pode gerar danos na visão que podem ser irreversíveis. Mas até onde vai essa relação entre cor dos olhos e danos de visão nunca esteve muito claro.
Se há alguma diferença, ela tende a ser sutil. As evidências de que olhos mais escuros proporcionam uma melhor visão são muito pequenas ou inexistentes. Porém, já se sabe que é possível ter melhores reflexos com olhos mais escuros.Alguns pesquisadores estão examinando esses efeitos no ramo dos esportes. Um estudo realizado na Universidade de Louisville revelou que pessoas de olhos mais escuros têm, no geral, melhores performances em tarefas que exigem rápido tempo de reação, como acertar bolas, jogar como goleiro e até no boxe.Já aquelas com olhos mais claros, obtêm melhores resultados em tarefas que exigem mais precisão, como arremessar bolas de baseball, jogar golfe ou boliche.Entretanto, outros estudos demonstram contradições nas teorias anteriores ao examinar os jogadores de rugby. Os pesquisadores dizem que mais estudos são necessários.Daqui a pouco, além de exames anti-dopping, o COI passará a se preocupar com lentes de contato.

"À noite, todos os gatos são pardos".

Não sabemos ao certo a origem dessa frase, mas com certeza, ela pode ter uma explicação física. Ocorre que a noite, quando a luminosidade é pouca, o olho humano é mais sensível à região azul do espectro da luz, menos sensível ao amarelo e menos ainda ao vermelho. Além disso, com baixa luminosidade, as células responsáveis pela visão colorida, os cones, são muito menos sensíveis do que os bastonetes que distinguem apenas as diferentes intensidades de brilho e, portanto, correspondem à uma visão em preto e branco. Assim, de modo geral, todas as coisas ao nosso redor adquirem uma tonalidade cinza (ou parda) quando a luminosidade do ambiente é fraca.