ADAPTAÇÃO DE LENTES DE CONTATO

Este procedimento deve ser realizado por um médico oftalmologista, pois requer conhecimento da fisiologia do olho e parâmetros como curvatura, diâmetro, zona óptica e grau, deve ser bem determinado para garantir uma perfeita adaptação, livre de complicações.

BIOMETRIA POR INTERFEROMETRIA (IOLMaster 500):
Este procedimento deve ser realizado por um médico oftalmologista, pois requer conhecimento da fisiologia do olho e parâmetros como curvatura, diâmetro, zona óptica e grau, deve ser bem determinado para garantir uma perfeita adaptação, livre de complicações.
CIRURGIA DE DESCOLAMENTO DE RETINA E VITRECTOMIA:

A vitrectomia é a cirurgia ocular mais comumente utilizada no tratamento das doenças de retina e vítreo.
Na vitrectomia, são empregados instrumentos microcirúrgicos (fontes de iluminação, vitreófago, pinças, tesouras, endolaser, etc.) com diâmetros que variam de 0,9 milímetros (20 Gauge) a 0,5 milímetros (25 Gauge).Durante a vitrectomia, o vítreo, a substância gelatinosa que preenche o segmento posterior do olho, é removido, além dos outros passos cirúrgicos necessários em cada tipo de doença. Para substituir o vítreo removido, o segmento posterior do olho é preenchido com solução salina, ar, gás especial ou óleo de silicone, dependendo do caso em questão.
A vitrectomia é geralmente realizada como um procedimento ambulatorial (sem internação hospitalar) sob anestesia local mais sedação ou sob anestesia geral.

CIRURGIA DE TRABECULECTOMIA:

Cirurgia realizada para controlar o glaucoma em casos em que o tratamento clínico não está sendo efetivo, quando nos exames complementares de campimetria, mapeamento de retina, gonioscopia, entre outros exames, o quadro clínico continua deteriorando-se.
Consiste em fazer uma fistula de drenagem de líquido do humor aquoso da câmara anterior do olho para a região sub-tenoniana escleral, existindo atualmente variações da técnica que se adaptam a cada caso.

CAMPIMETRIA COMPUTADORIZADA (Humphrey Field Analyzer):

The gold standard.HFA II – i Series
É um exame complementar que possibilita avaliar defeitos do campo visual. Tem indicação no glaucoma, neuropatias e maculopatias. Deve ser levado em consideração, pois a presença de lesões glaucomatosas no campo visual por mais incipientes que sejam, caracterizam estado avançado da moléstia.

BIOMETRIA ULTRASSÔNICA (ECOBIOMETRIA):

É um exame ultrassonográfico, onde se pode conhecer a medida do diâmetro axial do olho, possibilitando o cálculo do grau do cristalino artificial, usado na cirurgia de catarata. Tem indicação no glaucoma congênito, onde se pode acompanhar o aumento do globo ocular.

CIRURGIA DE CATARATA POR FACOEMULSIFICACÃO (INFINITI VISION SYSTEM) :

A catarata é removida por meio da facoemulsificação ou cirurgia com pequena incisão. Usando, apenas, anestesia tópica(colírios) faz-se uma incisão em degrau de cerca de 2,5 mm na esclera (parte branca do olho) ou na córnea clara (logo acima da área onde a córnea encontra a esclera) . Com o ultra-som, a catarata é fracionada em partículas microscópicas aspirada. Em seguida, para compensar a remoção do cristalino, é implantada uma lente intra-ocular (LIO). A incisão em degrau faz com que o olho permaneça completamente selado pela pressão natural externa.

CURVA TENSIONAL DIÁRIA:

É a medida da pressão intra-ocular em vários momentos do dia, em geral duas a três medidas pela manhã e duas a três medidas à tarde, realizadas todas no mesmo dia, e com intervalo mínimo entre elas de duas horas.

CAPSULOTOMIA POR YAG-LASER:
É um método de tratamento. Realiza-se a limpeza da cápsula por meio de um laser especí- fico chamado yag-laser. A cápsula é posicionada onde estava a catarata e que serve de suporte para a lente intra-ocular.
CERATOMETRIA COMPUTADORIZADA:
É um exame da curvatura da superfície corneana, indicado para o cálculo do cristalino artificial e indispensável na adaptação de lente de contato.
ESTUDO DA PELÍCULA LACRIMAL :
Consiste na realizacão de alguns exames para avaliacão da quantidade (Teste de Schirmer) e qualidade do filme lacrimal (corantes vitais como o rosa bengala e a lissamina verde).O Teste de Schirmer avalia a quantidade de lágrima que o paciente produz.Uma fita de papel é posicionada na pálpebra inferior e mede – se a umidade do papel.Nos Testes de Rosa Bengala e Teste de Lissamina Verde instila – se um destes corantes no olho do paciente e avalia – se o grau de comprometimento das células da superfície ocular.
EXAME DA MOTILIDADE OCULAR:
Analisa as condições de equilíbrio do sistema oculomotor, para verificar se há estrabismo ou se os dois olhos funcionam simultaneamente.
FOTOCOAGULAÇÃO A LASER:
A fotocoagulação com raios laser é procedimento utilizado para tratamento das doenças vasculares da retina , especialmente para a retinopatia diabética . Tem aplicação nas degenerações periféricas da retina , evitando o descolamento da mesma , podendo também ser usado na cirurgia para correção do descolamento de retina . O tratamento com raios laser é capaz de evitar a cegueira em alguns casos de retinopatia diabética.
FOTOTRABECULOPLASTIA A LASER:
É um método de tratamento que usa o laser, para fazer uma abertura no canal de drenagem do líquido intra-ocular.Dessa forma, o líquido escoa do olho com maior facilidade e melhora o controle da pressão intra-ocular. É indicado em alguns casos de glaucoma.
GONIOSCOPIA:

Exame que observa uma área específica do olho chamada ângulo da câmara anterior, em que o líquido intra-ocular é drenado para fora do olho. O exame permite verificar se há boas condições para a saída desse líquido.

IMPLANTE DE ANEL INTRA-CORNEANO (ANEL DE FERRARA):
O Anel de Ferrara (Anel Intra corneano, implante, AF) é um dispositivo médico implantável no estroma corneano visando a regularização de deformações corneanas causadas por patologias do tecido e a correção ou diminuição de erros refracionais associados. AF é fabricado a partir do PMMA (polimetilmetacrilato), material comprovadamente inerte e biocompatível que é utilizado há décadas na fabricação de implantes intra-oculares.È um tratamento seguro e eficaz para o ceratocone.
IMPLANTE DE LENTE INTRA-OCULAR ARTISAN:
A lente intra-ocular Artisan é uma inovação oftalmológica que possibilita a correção cirúrgica de refração para altos míopes, que têm entre 6 até 16,5 graus nos óculos, proporcionando uma nova maneira de enxergar sem a necessidade de óculos com lentes grossas ou lentes de contato.
INJECÃO INTRAVÍTREA:

Este procedimento deve ser feito em hospital, centro cirúrgico ambulatorial ou clínica oftalmológica especializada por médico especialista.
Após anestesia local e medidas de assepsia e anti-sepsia, o medicamento é injetado dentro do olho, no vítreo (substância gelatinosa do segmento posterior do olho).

IRIDOTOMIA A LASER:

Método de tratamento segundo o qual, por meio de um laser, faz-se um corte microscópico na íris para que o líquido intra-ocular circule dentro do olho. Geralmente é indicado para pessoas com glaucoma ou que apresentam tendências para a doença.Também é indicado aos pacientes que irão realizar determinados tipos de cirurgia intra-ocular.

LENSOMETRO COMPUTADORIZADO:

Serve para aferir óculos, incluindo o grau e DP corretos e com grande precisão.

MICROSCOPIA ESPECULAR (KONAN XL CELLCHECK):

Exame que fotografa as células da camada mais interna da córnea, conhecida como endotélio, permitindo a análise quantitativa e qualitativa das células da mesma. (Formato, tamanho, número das células).Utilizado em pré-operatório de cirurgia intra-oculares em geral, tais como na cirurgia de Catarata, de Glaucoma, de Transplante de córnea, assim como nas doenças propriamente ditas da córnea, como a Distrofia Endotelial e o Ceratocone.Sabe-se atualmente que alterações tanto morfológicas quanto fisiológicas da córnea estão associadas ao uso prolongado de lentes de contato, portanto, este exame pode ser utilizado para melhor controle de usuários de lentes de contato.

MAPEAMENTO DE RETINA:
Estudo de toda a superfície retiniana, em particular da região periférica, que não pode ser observada pela oftalmoscopia convencional. Muito útil no diagnóstico e caracterização do descolamento de retina, da retinopatia diabética, das uveítes e de diversas retinopatias.
POTENCIAL DE ACUIDADE VISUAL (PAM):

Exame indolor, com o propósito de realizar a medida da acuidade visual através de um feixe de laser que nos permite estimar o potencial máximo de visão no pós-operatório. Deve ser realizado em midríase, ou seja, com a pupila dilatada.
Serve para avaliação da acuidade visual macular potencial, quando existem opacificações dos meios transparentes, como em casos de catarata ou lesões corneanas.

PAQUIMETRIA ULTRASSÔNICA:

É um exame ultrassonográfico, onde se pode conhecer a medida da espessura corneana, podendo ser útil no diagnóstico e acompanhamento de doenças da córnea como o ceratocone e distrofia endotelial, dentre outras.Também pode ser utilizado para programar cirurgias refrativas e a cirurgia do anel intraestromal.Mais recentemente, tem sido utilizado para correlacionar a medida da pressão intra-ocular medida no tonômetro de aplanação, sendo de fundamental importância para diagnóstico e seguimento de pacientes com Glaucoma.

TOMOGRAFIA DE COERÊNCIA ÓPTICA (OCT) :
A Tomografia de Coerência Óptica, chamado O.C.T., é um dos exames mais modernos que o médico oftalmologista hoje dispõe para análise das doenças retinianas e glaucoma.
Está indicado principalmente no diagnóstico de alterações retinianas, como na retinopatia diabética, degeneração macular relacionada à idade, buraco macular e acompanhamento precoce das alterações de fibras do nervo óptico no glaucoma. Por se tratar de um exame recente, a cada dia mais indicações estão sendo descobertas em trabalhos científicos publicados no mundo inteiro.
O exame é baseado na análise digital da estrutura da retina e coriocapilar, como se fosse um corte histológico (Seccional) da mesma, mostrando as suas várias camadas, a partir da leitura da reflexão de uma luz infravermelha projetada no fundo de olho, por meio de uma fonte superluminescente de diodo.
O computador transforma as informações em gráficos, tabelas, programas de análise e comparação dos dados obtidos com exames normais e imagens coloridas, que são armazenadas e utilizadas de acordo com a indicação do exame.
Em algumas doenças, o O.C.T. é superior aos outros exames da retina, como a angiografia fluoresceínica, elucidando casos antes inconclusivos.
REFRAÇÃO COMPUTADORIZADA:
É um exame que não depende da informação do paciente, tem precisão e substitui com segurança refratométrica, quando a refração subjetiva fica impraticável. É também útil no exame de crianças excepcionais, surdo/mudos, precário nível intelectual, esclerose e senil.
RETINOGRAFIA SIMPLES E FLUORESCENTE:

As retinografias simples e fluorescentes são exames que auxiliam no diagnóstico e tratamento das doenças oculares, documentam anormalidades e evolução de lesões suspeitas, além de acompanhar a eficácia de tratamentos propostos através do registro de imagem da retina e do nervo óptico no caso da retinografia simples e do comportamento e distribuição do contraste (fluoresceína) no caso da retinografia fluorescente. São imprescindíveis nos casos de glaucoma, retinopatia diabética e nas degenerações maculares.

TESTE DO OLHINHO DO RECÉM NASCIDO :

Teste do Olhinho, também chamado de Teste do Reflexo Vermelho, é um exame simples E indolor, que deve ser realizado em todos os bebês para diagnosticar precocemente doenças oculares graves (entre elas a catarata e o glaucoma congênitos, retinopatia da prematuridade, tumores e infecções) que, se não forem tratadas a tempo, podem levar à cegueira.

TONOMETRIA:

É a medida da pressão intra-ocular. É um exame complementar e de rotina, importante para o diagnóstico do glaucoma. Nas pessoas maiores de 35 anos, faz-se necessário a medida anual para detectar possíveis alterações.

TOPOGRAFIA CORNEANA COMPUTADORIZADA:

Exame para diagnóstico precoce de várias patologias corneanas, útil na adaptação de lentes de contato, no acompanhamento de astigmatismo pós-operatório de transplante de córnea e cirurgia de catarata e no planejamento de incisões cirúrgicas no seu pré-operatório. 
Analisa de modo preciso a superfície corneana, permitindo evidenciar ectasias corneana precoce mente, como ceratocone, degeneração pelúcida, ceratoglobo, etc. Utilizado na cirurgia refrativa no seu planejamento cirúrgico. 
Este aparelho tem como características a projeção de anéis na córnea, a captura da imagem obtida por uma câmara de vidro e a análise desta informação por computador com exposição dos dados por mapas de cores.

ULTRA-SONOGRAFIA DIAGNÓSTICA:

A ultra-sonografia é um método diagnóstico indolor, seguro e bastante eficiente. Também é conhecido como ecografia.
Neste exame utiliza-se ondas de ultra-som que é um som com freqüência além dos limites percebidos pela audição humana. Estas ondas em contato com o corpo do paciente são refletidas sob a forma de ecos.
A ecografia clínica constitui um sistema eco-pulsátil no qual uma sonda emite ondas de ultra-som, seguidas por um breve intervalo de tempo para a captação dos ecos emitidos pelos tecidos, gerando imagens que permitem o diagnóstico de várias patologias. Existem vários tipos de sonda, e portanto, vários tipos de ecografia.

CORNEAL CROSS LINKING:

O Corneal Cross Linking, tem por objetivo evitar a progressão do ceratocone. Consiste em “endurecer” a córnea irradiando em seu interior fibras de colágeno a partir de raios ultravioleta no interior da córnea.
O procedimento é ambulatorial e não provoca rejeição, porque o colágeno é uma substância natural da córnea.
O Corneal Cross Linking abre a expectativa para que haja redução também no número de transplantes de córneas, por impedir a evolução no ceratocone.